Estudo da Úlcera de Pressão por meio de Termografia em Paciente Acamado com Esclerose Múltipla

  • Gladis Aparecida Galindo Reisemberger de Souza Doutoranda, PGMEC, Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Maria Lucia Leite Ribeiro Okimoto Professora Doutora, PGMEC Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Ramón Sigifredo Cortés Paredes Professor Doutor, PGMEC Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Maria Cristina Pacheco Mestranda, PGMEC Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Luis Henrique Stocco da Silva Doutorando, PGMEC Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Carlos Dalmaso Neto Médico. Pós-graduado em Termologia e Termografia, FMUSP http://orcid.org/0000-0002-1529-1731

Resumo

O presente trabalho, ocupa-se de uma análise por Termografia, para verificação dos pontos de pressão de paciente que se encontra acamado e praticamente sem movimentos, tais pontos de contato, futuramente, podem transformar-se em escaras. O objetivo deste estudo é a observação de pontos quentes (hotspots) em paciente com esclerose múltipla, por meio de imagens termográficas (termogramas), que, com as análises medindo calor, relatam a preexistência de inflamação. Pela investigação precoce do paciente acamado é possível identificar, evitando em tempo, o aparecimento de úlceras de pressão, também chamadas de escaras. Como metodologia foi realizada uma análise para verificação de pontos de pressão por Termografia e um questionamento junto ao paciente e seu cuidador, sobre seus pontos de maior incômodo. Para aquisição das imagens infravermelhas, foi utilizada uma câmera com Sensor ThermaCAM T400 (FLIR Systems Inc., North Billerica, Suécia). Os resultados do estudo Termográfico, na correlação entre temperatura cutânea e pontos de pressão, demonstram a sensibilidade da área afetada, sendo possível intervir para que posteriormente o paciente não sofra com as escaras, o que é bastante complicado para o indivíduo. É possível verificar que nos locais do corpo onde o paciente reclama de dores intensas, a demonstração da sensibilidade, que é aferida nas imagens por infravermelho, revela que tais pontos devem ser observados com cautela. 

Publicado
Mai 21, 2019
Como Citar
DE SOUZA, Gladis Aparecida Galindo Reisemberger et al. Estudo da Úlcera de Pressão por meio de Termografia em Paciente Acamado com Esclerose Múltipla. Pan American Journal of Medical Thermology, [S.l.], v. 5, p. 56-62, dez. 1969. ISSN 2358-4696. Disponível em: <https://www.abraterm.com.br/revista/index.php/PAJTM/article/view/62>. Acesso em: 21 maio 2019. doi: http://dx.doi.org/10.18073/2358-4696/pajmt.v5n1p56-62.
Seção
Relato de Caso