Comunicado referente a vinculação imprópria

Comunicado referente a vinculação imprópria

Devemos sempre evoluir para melhorar o mundo ao nosso redor e especialmente dos pacientes que atendemos. Sempre procurando impactar objetivamente a vida das pessoas e dos profissionais de saúde com meios que possam ajudar seus pacientes, seja com grandes descobertas ou pequenas ações. Este foi o caso neste final de semana durante o 14º Congresso Brasileiro de Dor em São Paulo que contou com a participação de especialistas do Brasil todo e convidados do exterior, compartilhando suas experiências clínicas com apresentações de altíssimo nível.

Porém, sempre há os que não se contém com críticas negativas e que não veem agregar, mas sim simplesmente ser recriminatório, hostis, preconceituosos.

Foi o caso deste comentário de uma fotografia tirada logo após a apresentação do nosso querido prof. Dr. Marcelo Almada:

O prof Dr Marcelo Pastor Almada Dávalos (Médico da Universidad Nacional de La Plata, Buenos Aires, Argentina. Especialista en Cirurgia General, Especialista em Cirurgia Plastica y Reparadora, Especialista em Flebologia y Linfologia) fez uma brilhante exposição do tema Termoflebografia Infravermelha na Síndrome Congestivo-Pélvico (SCP), mostrando toda sua experiência inédita na área. Mas infelizmente foi publicado, na forma de escárnio em rede social, esta fotografia acima de sua aula sem sua autorização prévia, e com inapropriado e lamentável comentário desqualificando seu trabalho científico. Absurdo!! Queremos que o prof Almada venha mais vezes ao Brasil e não fique incomodado com estes comentários, pois sempre terá nosso apoio e espaço para apresentar sua experiência e habilidade clínica independente do equipamento que utilize ou do que digam pracistas inaptos, que não são nem profissionais da saúde ou da engenharia. Professor, você será sempre bem-vindo!!

 

Apesar de previamente orientado pela comissão organizadora CBDOR aos expositores, inclusive por meio de contrato, houve quebra da norma da utilização de material científico e fotografias sem autorização prévia, por escrito para fins de divulgação comercial e informações comerciais facciosas.

O julgamento sem conhecer um tema ou por outros motivos que nem sempre ficamos sabendo, pode ser muito perigoso.

 

O querido professor explicou muito bem ao final que utiliza diversos equipamentos de diferentes resoluções e comentou em tom bem descontraído durante o próprio evento, que independente da resolução de imagem “o mais importante é a quantidade de “pixels” que o avaliador deve ter no córtex frontal”!! Isto é, não cabe comentários quanto a resolução de imagem de equipamentos quando o avaliador não tem experiência ou conhecimento na área. Corroborando com o que sempre defendemos na ABRATERM! Um diagnóstico correto pode ser bem feito com uma boa história clínica e com apoio de um sensor mais simples. E um diagnóstico totalmente incorreto pode ser produzido com o melhor equipamento do mundo com a maior resolução se não houver conhecimento de quem o utiliza.

Pedimos nossas sinceras desculpas ao professor, em nome da comissão organizadora, membros ABRATERM e como brasileiros, pois sabemos que palestrante veio diretamente de Buenos Aires ao Brasil somente para este evento. Salientamos que isto se trata de uma atitude isolada de um dos expositores e não representa nossa opinião científica. Pelo contrário, apoiamos todos os pesquisadores e profissionais de saúde interessados em estudar Termologia e que querem aplicar este conhecimento aos seus pacientes independente dos meios que utilizam, sem prevalecer nenhuma marca de empresa. O Congresso de Dor se trata de um cenário acadêmico e não uma arena comercial.

 

Além disso, informamos aos colegas que a utilização do nome do presidente da ABRATERM, Prof Marcos Brioschi, em outro de seus posts também se trata de atitude isolada da mesma empresa, sem autorização, para fins de autopromoção da mesma. Agradecemos o elogio, mas sabemos que não foi este o intuito. Prof Brioschi não tem vínculo algum com esta empresa, não possui conflito de interesse de ordem pessoal, e não autoriza seu nome ou fotografia para fins comerciais e nem endossa os comentários da mesma.

 

Não é primeira vez que recebemos este tipo de denúncia na ABRATERM. É uma atitude antiética recorrente desta empresa com colegas profissionais de saúde e membros da ABRATERM que na boa fé já foram fotografados e depois são vinculados a divulgação desta empresa sem sua autorização bem como a utilização de seus endereços comerciais e weblinks de suas clínicas para vincular comercialmente a empresa.

Vamos evoluir para melhorar, vamos impactar objetivamente o mundo ao nosso redor e dos nossos pacientes. Vamos deixar fluir a ciência e a arte da discussão, criticar em si não é algo ruim, desde que o intuito seja construtivo, sem causar desconforto, aborrecimento ou constrangimento. A vida de muita gente pode ser muito melhor com pequenos gestos de amor e compreensão.