Termografia em infestação por Larva Migrans

  • Flavio Leme Ferrari Pós Graduação Termologia médica USP
  • Marcos Leal Brioschi
  • Luciane Fachin Balbinot
  • Manoel Jacobsen Teixeira

Resumo

Resumo – A larva migrans cutânea é mais comumente originada pelas larvas de ancilóstomos de cães e gatos (Ancylostoma braziliense e Ancylostoma caninum). Os ovos nas fezes contaminadas eclodem e suas larvas podem migrar para a pele humana ocasionando lesões com reações inflamatórias extremamente pruriginosas. Estas com frequência desencadeiam infecções bacterianas secundárias. O diagnóstico da larva migrans cutânea relacionada à ancilostomíase é feito facilmente pela apresentação clínica típica, i.e., lesão serpiginosa e pruriginosa que avança em um paciente com histórico de banho de sol, andar descalço na praia ou atividade semelhante em local tropical. Podem se apresentar com lesões únicas ou infestações com múltiplas lesões. Neste estudo mostrou-se a avaliação termográfica de três pacientes de consultório dermatológico por meio de Termografia Médica por Imagem Infravermelha (IR). Esta é uma técnica diagnóstica não-invasiva que pode ser utilizada na avaliação e quantificação de variações de temperatura na superfície da pele mensurando o grau de comprometimento da região afetada pelo aumento da temperatura local, refinando o diagnóstico e fornecendo dados para controle da involução pós-tratamento.

Como Citar
FERRARI, Flavio Leme et al. Termografia em infestação por Larva Migrans. Pan American Journal of Medical Thermology, [S.l.], v. 6, p. 75-79, out. 2021. ISSN 2358-4696. Disponível em: <http://www.abraterm.com.br/revista/index.php/PAJMT/article/view/93>. Acesso em: 26 out. 2021.
Seção
Relato de Caso

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es).